Religiosos extremistas brasileiros já estão pregando sobre o fim dos Cristãos e dos Judeus no Brasil


O principal Xeque Xiita brasileiro, Rodrigo Jalloul, fez uma constatação alarmante para o Brasil. Segundo ele, o número de convertidos ao islamismo vem crescendo muito no Brasil e se tornando radicais, pregando sobre o extermínio de cristãos e judeus.

A constatação do Xeque Rodrigo Jalloul é bastante preocupante para o nosso país, que é formado por sua grande maioria de cristãos e as demais religiões convivem pacificamente. Mas o extremismo muçulmano já começa a ser notado por fiéis da própria religião.


Segundo o Xeque brasileiro, os lideres muçulmanos brasileiros tem errado na hora de focar na política ao invés da religião. "“Alguns xeques erram em focar muito a política e pouco a religião. Eles dizem abertamente que os xiitas são hereges e malditos. Os brasileiros que se convertem não conhecem a história da religião e acabam caindo nessa farsa", disse Rodrigo Jalloul em entrevista a revista Veja.

Para o Xeque, a radicalização dos muçulmanos brasileiro é devido ao excesso de informação disponível, mas sem nenhum "filtro" adequado. "A radicalização dos muçulmanos brasileiros deve-se ao excesso de informação disponível, mas sem um filtro adequado. Certa vez, encontrei uma muçulmana sunita na porta da mesquita do Brás [em São Paulo] e convidei-a para entrar. Ela se recusou, pois um xeque sunita lhe havia dito que se tratava de um lugar maldito", contou Rodrigo.

O Xeque ainda contou que duas subcategorias mais radicais do sunismo tem se manifestado de maneira forte no Brasil, se tornando uma ameaça. "O wahabismo e o salafismo, que são as subcategorias mais radicais do sunismo, têm se manifestado de modo muito forte no Brasil. Isso é uma ameaça. A radicalização que afeta jovens na Europa também está acontecendo no Brasil. Todo cuidado é pouco", disse Jalloul demostrando sua preocupação.

A preocupação para esse grupo está nos fanáticos, que segundo o Xeque pregam que judeus e cristãos não podem existir, apoiando até mesmo o afastamento dos familiares, mesmo o profeta Maomé tendo deixado orientações que o respeito aos pais tem que ser mantido até o fim da vida. "Esses fanáticos pregam que cristãos e judeus não podem existir. Pregam até o afastamento da família, apesar de o profeta Maomé dizer que o respeito aos pais deve ser mantido até o fim da vida. Aqueles que têm mais sede de conversão são os piores. Eles querem se converter e não discutem nem questionam nada", contou Jalloul. Informações e fontes "Veja".




Seja um assinante e saiba tudo em primeira mão!

Digite o seu e-mail corretamente 
no campo acima

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.