Pastor usava o nome de Deus para fazer coisas "absurdas"


O pastor Paulo Ross, de 47 anos, líder da "Igreja Mundial do Novo Nascimento em Cristo" em Campos Novos, Santa Catarina, foi preso após uma menina de 12 anos acusar o pastor de abuso sexual.

Segundo as investigações, a menina de 12 anos foi convencida pelo pastor de que estava enfeitiçada, e que o feitiço somente seria quebrado caso ela se relacionasse com um "homem de Deus, que fosse casado, no mínimo sete vezes", alertando a adolescente que a quebra do feitiço era um segredo, e se contasse para alguém a maldição se tornaria mais forte e ela morreria.


Os abusos ocorreram entre junho e julho do ano passado, mas a adolescente somente veio contar sobre o ocorrido em fevereiro, após sofrer de uma profunda depressão.

A mãe da adolescente abriu uma queixa junto a delegacia local, relatando também que além de sua filha, outras duas jovens estavam sendo assediadas pelo pastor. As duas jovens são amigas da sua filha, uma com 15 e outra com 16 anos.

No celular dessas duas jovens haviam mensagens do pastor, que se assemelhava com o relato da adolescente de 12 anos, onde o pastor dizia o seguinte: "Para quebrar o feitiço é preciso se relacionar com um homem de fé, abençoado e casado. Única forma de vencer o mal. Vocês não tem escolha. Essa é a ordem de Deus."

O pastor está preso temporariamente com base nas provas, na unidade prisional de Campos Novos. O pastor Paulo Ross é casado e tem filhos. Informações e fontes "UOL".



Seja um assinante e saiba tudo em primeira mão!

Digite o seu e-mail corretamente 
no campo acima

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.