Cientistas avisam que ainda esse ano começará a tentativa de ressuscitar os mortos


Avanço da ciência ou "brincar de ser Deus"? Uma empresa chamada "Bioquark", com sede nos Estados Unidos, anunciou que a morte cerebral não é irreversível, onde ainda nesse ano de 2017 serão feitas as primeiras tentativas de "ressuscitar os mortos". O projeto tentará trazer de volta a vida os pacientes clinicamente mortos de volta à vida.

Se fosse a alguns anos atrás, diríamos que era impossível ressuscitar alguém com morte cerebral, ou tal feito somente seria possível em filmes de ficção científica, mas com a ajuda da ciência moderna, o CEO da Bioquark, Ira Pastor, revelou que em breve estará sendo testado um novo método de células-tronco em pacientes de um país não identificado na América do Sul, onde os detalhes do procedimento será realizado nos próximos meses.


Para um paciente ser declarado oficialmente morto, é necessário fazer experimentos para detectar se as funções cerebrais já chegaram no estágio de irreversível, que é chamado de "morte cerebral". Mas a empresa Bioquark, já desenvolveu uma nova técnica, que é uma série de injeções que podem reiniciar o cérebro, o que poderá resultar na "ressurreição" do paciente.

Exames serão realizados em pacientes com idades entre 15 e 65 anos, que farão exames de ressonância magnética, a fim de procurar possíveis sinais de reversão da morte cerebral.

Para a medicina atual, a confirmação da morte costumava ser simples, pois quando o coração parava de bater e o paciente ficava sem respiração por um longo tempo, a morte era declarada, mas com essa nova teoria que será testada e em breve implantada, a coisa ficou um pouco mais complexa, uma vez que existem meios mais avançados para continuar bombeando oxigênio pelo corpo, mantendo o cérebro funcionando, a esperança de sobrevivência aumentou.

Os procedimentos para tentar reanimar um indivíduo será realizado de três maneiras. As células-tronco seriam colhidas do sangue do próprio paciente e injetadas de volta em seu corpo, onde em seguida, o paciente iria receber uma dose de pépticos injetados em sua medula espinhal. Depois desses dois procedimentos, os médicos passariam 15 dias realizando a estimulação do nervo para tentar trazer a reversão da morte cerebral. Informações e fontes "Daily Mail".


Seja um assinante e saiba tudo em primeira mão!

Digite o seu e-mail corretamente 
no campo acima

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.